Página inicial

Missa 法事 participa da edição histórica do Primeiro Plano

22 de junho de 2021

Realizado em 2012, o filme Missa 法事 apresenta um ritual budista de uma família de descendentes de japoneses no Brasil. A celebração é realizada em memória da matriarca, em seu aniversário de falecimento. Assista aqui.

Tomyo Costa Ito, diretor do documentário, comenta a proposta artística do curta: “A proposta do filme surgiu a partir da relação de um olhar simultaneamente íntimo e estranho. O filme se constitui num exercício da forma, na utilização de duas câmeras de modelos diferentes (uma profissional e outra amadora) para destacar a presença desse duplo olhar. Uma das diferenças está no privilégio de planos fixos e mais abertos para o olhar que podemos chamar de distanciado e planos feitos na mão com mais movimentos e mais fechados para a câmera de olhar próximo, operada por mim”.

Entre os dias 22 de junho e 04 de julho, o curta ficará disponível dentro da programação do Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades, em sua edição histórica, em comemoração ao seus vinte anos de existência.

Poesia khmer em festival de cinema nos EUA

06 de maio de 2021

Our own wind, primeiro filme do poeta khmer Chheangly Yeng, participa do SEA x SEA Southeast Asia x Seattle Film Festival, nos EUA. O filme é composto por nove poemas visuais que propõem novos olhares e experiências das paisagens do país a partir das manifestações da poesia, do canto, da música e da dança, expressões tradicionais da cultura khmer. Estas artes interagem e ao mesmo tempo dão uma nova forma aos elementos naturais da terra, da água, da chuva, do vento, e reconfiguram a paisagem urbana, com seus novos arranha-céus e a presença de pés descalços que perambulam pela cidade.

Chheangly Yeng é um dos fundadores do Slap Paka Khmer (Khmer Collaborative Writers) que promove festivais de literatura, noites de leitura de poesia e oficinas de redação em Phnom Penh. Em 2019, ele e seu grupo realizaram a compilação e tradução da obra de dez poetas da ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático), incluindo suas poesias, no livro Struggle of the nation. Também participou de eventos internacionais, em razão de seu trabalho como poeta, na Áustria, Índia, Malásia e Singapura.

Entre os dias 10 de maio e 04 de junho, o filme estará disponível online pela plataforma Vimeo. Para acessá-lo faça um registro gratuito aqui e você receberá um link de acesso em seu e-mail. O filme é falado em khmer e será apresentado com legendas em inglês. Para conferir a programação completa de filmes do festival acesse este link.

* * *

Sob a sombra da palmeira participa do CachoeiraDoc

01 de dezembro de 2020

O documentário Sob a sombra da palmeira participa de seu terceiro festival, compondo a seleção oficial do CachoeiraDoc na Mostra de Documentários Brasileiros “Futuro, como presente, no passado” a ser realizada entre os dias 04 e 20 de dezembro de 2020. Acesse a programação pelo link: festival.cachoeiradoc.com.br/. Para acessar ao filme acesse o Programa 1 (sessão 2) da Mostra, entre os dias 05/12 e 11/12, e 19/12 e 20/12.

Chheangly Yeng escreve poemas e os canta. As palavras dele nos apresentam seu pai, Chea Yeng, um trabalhador rural dos arredores de Phnom Penh, capital do Camboja. Enquanto partilha um pouco da história da família, seu olhar busca uma palmeira que cresceu no terreno em que seu pai cultivava arroz. O filme acompanha de modo sensível o relato e o poema. Um convite a pensarmos: quanta poesia há impregnada nas paisagens que habitam nossa memória, para as quais olhamos novamente envoltos pelo filtro da saudade?

* * *

Filmes realizados no Camboja participam do Forumdoc.bh 2020

13 de novembro de 2020

Os documentários Sob a sombra da palmeira e Poemas do Camboja foram selecionados para a Mostra Contemporânea Brasileira do Forumdoc.bh 2020 – Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte. Os filmes estarão disponíveis online a partir das 19h30 do dia 19/11 até o fim do dia 28 de novembro de 2020 no site forumdoc.org.br. Compõem as sessões 7 e 12, respectivamente, da Mostra Contemporânea Brasileira.

O primeiro filme acompanha a poesia e o relato de Chheangly Yeng sobre a história de sua família e de seu pai Chea Yeng, trabalhador rural dos arredores de Phnom Penh, capital do Camboja. O segundo percorre as paisagens das cidades, dos campos e dos templos do país por meio de uma série de poemas de língua khmer. 

Tomyo Costa Ito passou sete meses no Camboja, em 2019, onde realizou pesquisa de doutorado (UFMG) sobre o cinema de Rithy Panh. Lá estabeleceu uma parceria com o poeta Chheangly Yeng, com o apoio do grupo de Colaboração de Escritores Khmers, para a realização dos filmes.